Escolha uma Página

Sabe aqueles dias em que você não sente vontade e nem motivação pra fazer alguma coisa? Eu sei que você já passou por isso, porque eu já passei por momentos assim mais de uma vez. Pra falar a verdade, muitas.

O que fazer – ou não – para ter mais motivação?

Pra descobrir o que te move, é melhor pensar o inverso primeiro. No meu caso, o que não me motivava: a promessa de recompensas e a ameaça da punição — ou a consequência de não terminar uma tarefa. As recompensas nos limitam e as ameaças nos frustram. E aí você acaba recuando do seu objetivo, voltando a pensar demais e duvidar de si mesma.

Pra evitar que você passe por tudo isso, vou te apresentar sete erros que alimentam o desânimo e acabam com a motivação:

 

ERRO 1: Pensar que é o centro do universo

Quando olhamos só para o nosso próprio umbigo, qualquer tremor vira um terremoto, e em poucos segundos tudo se complica e desmorona. Comece a se preocupar e ajudar outras pessoas, além de te fazer o bem, você também ficará mais motivada! No meu caso, resolvi mostrar a minha rotina justamente para isso, eu ajudo vocês e vocês me ajudam.


ERRO 2: Resistir ao momento que está vivendo

Você já disse alguma frase assim: se eu ganhar mais, farei academia ou se eu emagrecer serei mais feliz? A verdade é que esses pensamentos estão te atrapalhando a perceber o agora. Ter grandes objetivos é ótimo, mas calma aí! As coisas não acontecem da noite para o dia, mantenha o foco no presente e bora correr que uma hora você chega ao seu objetivo.


ERRO 3: Achar que você é perfeita

Nem sempre você estará com a motivação em dia, e tudo bem! O segredo está justamente em aceitar que existirão dias em que a vontade de ficar “de boa” vai prevalecer. Aprenda a aceitar esses momentos, não fique se punindo por isso, somos humanos, temos nossas imperfeições, isso é perfeitamente compreensível e faz parte de quem você é.


ERRO 4: Não viver o dia de hoje

Desperdiçar um dia inteirinho com desculpas e reclamações é uma gigantesca falta de reconhecimento à vida. Então, faça do seu dia minimamente útil, até mesmo naqueles dias em que a cama parece ser o melhor lugar. Faça uma caminhada no parque, dê a volta no quarteirão, jogue bola com seus filhos…


ERRO 5:  Reclamar demais

Sim, eu também reclamava muito! Muitas vezes nem percebemos que fazemos isso. Quando a preguiça e o desânimo estão de mãos dadas, a nossa primeira válvula de escape é a reclamação! Acreditamos que reclamar irá nos trazer algum alívio… Doce ilusão. Reclamar não é uma boa estratégia: o melhor é tentar se lembrar que essa falta de motivação sempre existirá, mas você NÃO é esse estado, só está vivendo ele momentaneamente.


ERRO 6: Não perceber a necessidade de uma mudança

Sabe quando bate aquele desânimo do nada? Ou, quando a falta de vontade toma conta de você por dias? Isso é um sinal de que algo está errado e precisa – urgentemente – ser mudado!

Não adianta se perguntar “o que ou quem está causando isso”, não existe um culpado externo. O primeiro lugar que você deve olhar quando sua motivação for por água abaixo é para si mesma e então entender “quais pensamentos fazem você se sentir assim” e tentar, de todos os jeitos, não alimentar mais esses monstrinhos.


ERRO 7: Não acreditar que os pequenos passos te levarão longe

Você já deve ter ouvido o ditado “De grão em grão a galinha enche o papo”. Por mais simples que pareça, é exatamente isso! Se você fizer pequenas coisas, mesmo aquelas que pareçam insignificantes, você entrará em estado produtivo constante. Pense comigo: se você emagrecer 600g por semana, por mais que pareça pouco, em um mês você terá perdido 2,4kg e em um ano serão quase 29kg!!! Mas pra que isso aconteça, você precisa manter a motivação em dia e valorizar os pequenos esforços, eles são fundamentais para conquistarmos nossos objetivos, sejam eles quais forem.


Quando eu resolvi mudar a minha vida, preparei um listinha que me ajudou muito e espero que faça o mesmo por você:

  1. SEJA ESPECÍFICO: Mantenha os seus objetivos de forma direta e detalhado, assim será mais fácil cumpri-los;
  2. QUANTIFIQUE: Meça seu desempenho e tente analisar quanto progrediu desde o início das suas atividades;
  3. META POSSÍVEIS: Escolha objetivos desafiadores, mas próximos da sua realidade;
  4. SEJA REALISTA: Objetivos realistas consideram e reconhecem imprevistos e coisas que não podem ser controladas ao longo do caminho;
  5. DETERMINE UM TEMPO: Não esqueça de definir em quanto tempo pretende completar o objetivo e tente manter as tarefas de acordo com a data escolhida.

E aí, bora aquecer?💪